Educação Cristã Integral

Atualizado: 24 de Fev de 2021

Entenda a educação de seus filhos como algo que vai muito além da escola

Você com certeza já ouviu a frase: "Cuidado com as segundas intenções!”

Pois eu acredito que precisamos ter cuidado até com as primeiras intenções….


Reflita sobre sua prática. Tudo o que fazemos tem uma motivação, uma intenção. Podemos, muitas vezes, não detectá-la. Nos outros é bem mais difícil, mas às vezes não a identificamos nem em nós mesmos! Porém, ela está lá! A intenção. Então, onde exatamente elas estão? De onde elas surgem?


Uma resposta a essa pergunta vem da Bíblia: “Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem”. E: "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Mc 7:21,22; Pv. 4:23). Sim, do coração vem às nossas intenções e motivações para escolher, planejar, agir, reagir, perseverar, realizar, falar, etc.


Assim, quando pensamos em educação, precisamos considerar questões como: O que é uma educação eficiente? Como atingir o coração? Que tipo de educação é essa?

Estamos falando da educação integral que deve atingir todas as dimensões do ser humano: corpo, alma (coração) e espírito. No âmbito da alma estão: mente, emoções, vontade e consciência. O que também é chamado de "coração''.


A educação que damos aos nossos filhos precisa atingir o coração deles para ser integral, porque segundo a Bíblia a vida de uma pessoa reflete o que está no seu coração: “O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração” (Lc 6:45).


O mundo já percebeu o valor dessa estratégia. Uma das mais novas propostas de ensino hoje leva justamente esse nome: Educação Integral. A Educação Integral, proposta pela escola, é uma concepção que compreende que a educação deve garantir o desenvolvimento dos sujeitos em todas as suas dimensões – intelectual, física, emocional, social e cultural.


Em seu livro “Pastoreando o coração da Criança”, Tedd Tripp alerta para as influências formativas e a importância de darmos aos nossos filhos uma orientação em direção a Deus. Pensando no que Tedd falou, precisamos levar a sério o fato de que essas influências formativas não vêm somente do nosso lar, mas também da escola que hoje está oferecendo a educação integral!


Você, como eu, se preocupa com a educação de seus filhos. Quer que eles tenham os valores e princípios bíblicos, que creiam e vivam na dependência de Cristo. Esses princípios e valores precisam estar gravados no coração deles, pois é do coração que sairão todas as decisões e escolhas da vida deles.


Então, falando especificamente das influências formativas que nossos filhos receberão da escola, precisamos estar alertas pois nenhuma proposta educacional está isenta de intenções. Falo das segundas intenções mesmo, aquelas que não estão tão claras para nós, nem para aqueles que se submetem a elas.


Há intenções na maneira como a escola está organizada, há intenções nas disciplinas estudadas, há intenções em como todo o processo acontece, e principalmente, há muitas intenções nas mais novas propostas de ensino.


Ela se diz neutra. Laica. Mas nenhuma proposta feita por um ser humano pode estar destituída de intenções porque elas estavam presentes no ser humano que a elaborou. Isso tem a ver com o que chamamos de cosmovisão. Cosmovisão é a forma como nós enxergamos a realidade, o mundo, as pessoas e a sociedade. Todos nós temos essas “lentes” e para nós, cristãos, nossa lente é a Palavra de Deus.


Assim, nós precisamos ter bem claro, por exemplo, que ao mandarmos nossos filhos para a escola (não confessional) os valores e princípios cristãos estarão sendo confrontados por ensino e pessoas que têm uma cosmovisão diferente e não bíblica.


Por exemplo, pegue o livro de Ciências de seu(sua) filho(a). Analise o estudo dos seres vivos: plantas. Várias informações e afirmações são feitas. Mas, quem as criou? Com que propósito as plantas, a natureza toda foi criada? Ao não tratar dessas questões o que a escola afirma é: não há Deus criador, se houvesse Ele estaria incluído nesse estudo.


Deus não faz parte de todas as inúmeras coisas “importantes” que são ensinadas na escola. Simplesmente porque ela nega Sua existência. Sendo submetidos por longos anos a essas influências, logo, não demora que os adolescentes comecem a questionar sua fé e a existência de Deus. Uma prova disso é o número alto de estudantes cristãos que abandonam a fé quando ingressam na universidade. Acredite: essa semente foi plantada lá atrás.


O importante então é: Prepare seu filho para esse confronto. Temos uma ordem do Senhor que pode nos ajudar:

"O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Portanto, ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e com toda a sua força. Estas palavras que hoje lhe ordeno estarão no seu coração. Você as inculcará a seus filhos, e delas falará quando estiver sentado em sua casa, andando pelo caminho, ao deitar-se e ao levantar-se.” (Dt. 6:4-7)


Pastoreie o coração de seu filho e você estará lhe oferecendo uma educação integral. Ajude-os a descobrirem logo cedo de onde vêm os desejos e as intenções e ensine para eles as verdades sobre a fonte delas:Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” Quantas vezes o coração nos engana? Mas, “Deus é aquele que sonda e conhece os corações.” (Jeremias 17.9; Provérbio 21.2; Romanos 8.27).


Tudo isso só poderá acontecer debaixo da dependência do Senhor e, portanto, com muita oração.


TRIPP, Tedd. Pastoreando o Coração da Criança. São Paulo: Editora Fiel, 2000.

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo