Autoridade

Atualizado: 26 de fev. de 2021

Essa palavra, AUTORIDADE, pode trazer certo desconforto, principalmente se você é jovem e está quase conquistando a independência tão sonhada que a vida adulta traz. No entanto, pode trazer desconforto também para o adulto que já alcançou a maturidade, a liberdade, e tem a vida repleta de responsabilidades, afinal, você pode pensar: “por que devo me preocupar com autoridade se já passei dessa fase e ainda tenho outros sob meu comando”?


Vivemos uma crise de autoridade e podemos observar isso em todas as esferas da vida humana. Mas será que essa crise é somente dessa era pós-moderna? Não, absolutamente. De acordo com a Bíblia, as pessoas são rebeldes por natureza e não querem que ninguém lhes diga o que fazer.


Então, como entender autoridade nos dias atuais? O intuito deste texto não é abordar todos os aspectos que a autoridade abrange na esfera humana. Vamos nos concentrar na autoridade que Deus delegou ao pai e a mãe na criação de filhos.


Sintaxe gramatical X Sagradas Escrituras

O dicionário Caldas Aulete traz a seguinte definição para a palavra autoridade:

1. Direito, poder ou prerrogativa de tomar decisões e dar ordens.

2. Pessoa que tem esse direito ou poder: Fale com o sargento, ele é a autoridade aqui.

3. Entidade institucional (política, judicial, policial, militar ou eclesiástica) que, em sua alçada, tem direito de exigir obediência a suas ordens: "Disseram-me que estava presente a autoridade e tratava de remover o morto." (Raul Pompeia, O Ateneu)


Como cristãos, entendemos que essa definição de autoridade é parcial e não abrange a totalidade do seu real significado. Quando a Bíblia fala de autoridade ela diz que toda autoridade procede de Deus (Romanos 13.1) . Isso revela que o homem em si mesmo não tem autoridade sobre nada nem ninguém.


Ou seja, o homem, por si mesmo, não tem autoridade que emana do seu próprio ser, pois Deus criou todas as coisas e tudo o que existe é de Deus. Ele é o dono de tudo. A autoridade foi entregue por Deus a quem ele delegou que assim seria e tem um duplo papel: exaltar o que é bom e punir o que é mau. E esses dois papéis tem um único objetivo: fazer o bem. Então, podemos chegar à conclusão de que toda autoridade é instrumento de Deus para fazer o bem.


Vamos observar agora o 5º mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. (Êxodo 20.12). Isto é muito interessante! Veja como este mandamento não fala de honrar ao rei, ao pastor, ao presbítero, ao professor, ele está falando de pai e mãe.


Não que essas pessoas não mereçam honra e respeito, mas, perceba a proximidade da relação de autoridade e paternidade por meio dessa menção nos Dez Mandamentos. Lembre-se: Deus é pai! Quem tem mais direitos de interferir na vida de outro ser humano, depois do próprio Deus, é o pai e a mãe.


Não é o estado, não é a igreja, não é o chefe, não são os amigos, não são os avós, não é a família, não é a escola, não é a faculdade; é o pai e a mãe. Observe a natureza: não existe nenhum filhote tão frágil como um bebê; somente um ser humano é capaz de prolongar a vida de outro ser humano recém-nascido.

Exemplo de autoridade

Temos um modelo muito “ousado” de demonstração de autoridade que o próprio Jesus mostrou. Sim, Jesus Cristo, aquele que recebeu toda a autoridade de Deus, o Pai, (Mateus 28.18) , lavou os pés dos discípulos. Olha que coisa “escandalosa” aos nossos olhos: o Cristo, que é o centro do universo e deve ser adorado por cada ser humano, se coloca como escravo, como um servo.


O exemplo de Jesus mostra que autoridade não é ter muitas pessoas te servindo, mas é você servindo quem está abaixo de sua autoridade. E esse serviço requer duas coisas: instrução e disciplina (exaltar o que é bom e punir o mal). A instrução é a principal ferramenta no exercício de autoridade.


O fundamento da autoridade não está em você dar ordens, mas em inculcar e instruir as verdades de Deus em seus filhos a respeito de todas as coisas. Mediante tudo o que a Bíblia nos apresenta sobre autoridade não podemos ficar somente com o conceito do dicionário. Na cosmovisão cristã, autoridade é mais do que um direito sobre alguém ou alguma coisa, é o dever de servir e se entregar pelo outro.


A autoridade e o exercício da autoridade não estão relacionados com as ordens que você dá. A autoridade é estabelecida no exercício de servidão. Devemos servir aqueles que estão debaixo de nossa autoridade, principalmente os nossos filhos, ou seja, não viver a vida centralizada em si.


A Bíblia tem um livro inteiro de demonstração de como a instrução é a principal ferramenta no exercício da autoridade. O livro de Provérbios é um exemplo de como aplicamos a autoridade na instrução, e não na repreensão - o fundamento da autoridade não está na repreensão, não se esqueça.


É interessante observar que, em Provérbios, a relação que existe entre aquele que instrui e aquele que é instruído é como uma relação de pai e filho. Não é à toa que Deus deu ao ser humano a experiência da paternidade, porque é justamente nessa experiência que chegamos mais perto da expressão “dar a vida por outro”. O simples fato de termos filhos nos impulsiona para fora de nós mesmo e nos joga a serviço do outro.


Trilhar o caminho da instrução e de guiar os filhos na sabedoria, como a Bíblia demonstra, revela que bater no seu filho não garante que ele irá te honrar, ou que irá te amar. A Bíblia fala que a disciplina (punir o que é mau) que vem de alguém que ama tem efeito, mas a disciplina onde não tem autoridade estabelecida (exaltar o que é bom e punir o que é mau) não tem efeito.


Obedecer por medo da punição é algo temporário, e não é raro o filho ficar ansiando pela a hora que vai sair de casa para se livrar do fardo de estar sobre a sua “autoridade”. Claro que ordens e comandos têm o seu lugar quando se trata de pessoas sob sua autoridade.


Mas o desafio aqui é mudar a sua disposição mental em exigir do filho uma obediência simplesmente comportamental por uma disposição em exigir de você, pai e mãe, um serviço de amor ao seu filho.


O que faz com que o seu filho olhe para você com honra é tudo aquilo que é construído com base na instrução e do serviço em amor a ele. O maior exemplo de amor de todos os tempos já nos foi dado: “Nisto conhecemos todo o significado do amor: Cristo deu a sua vida por nós e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”. (1 João 3.16)


Ao exercer a autoridade que o próprio Deus delegou aos pais, você estará contribuindo para criar um adulto forte, mas que também tem a consciência de que é um simples servo, um imitador daquele que foi o maior servo. Seguindo nesse caminho, você não somente estará obedecendo a Deus e se conformando à imagem de Cristo, como também estará preparando o seu filho para a batalha de egos do meio acadêmico e do mercado de trabalho.


Louve o que é bom e puna o que é mau enquanto seu filho estiver debaixo da sua autoridade. Se assim for feito, quando chegar “lá fora” ele vai estar muito mais preparado, confiante, sabendo exercer autoridade e se submeter a ela.


A postura de um verdadeiro líder é de joelhos perante Aquele de quem recebeu a incumbência de “governar” alguém.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo